“Festival Sertanejo 2014” estreia com a participação de Luan Santana neste sábado(20)

O “Festival Sertanejo 2014” estreia neste sábado, dia 20 de setembro, às 22h15, sob o comando deChitãozinho & Xororó. E para começar a dupla recebe como convidado especial da noite Luan Santana que vai cantar, participar dos quadros “ Momento Modão” e “Agulha no Palheiro” e também ajudar a escolher os candidatos que seguem na disputa para concorrer ao prêmio de R$100 mil em barras de ouro.

No “Momento Modão”, Chitãozinho e Xororó e Luan Santana fazem uma homenagem ao Trio Parada Dura cantando “As Andorinhas”. No “Galopímetro” a dupla desafia Luan e Hugo e Tiago a cantar a música “Galopeira” para ver quem sustenta a voz por maior tempo. Já o quadro “Agulha no Palheiro”, Chitãozinho e Xororó mostram vídeos bem curiosos sobre a vida de Luan, e em um deles o cantor aparece beijando uma loira famosa.

Sobre o Festival Sertanejo

Com apresentação de Chitãozinho e Xororó, o programa vai acompanhar 14 cantores em busca do mesmo sonho: se tornar a “nova voz sertaneja”. Para esta disputa, os candidatos serão divididos em dois times e a cada programa irão duelar por uma vaga nesta grande competição.

O elenco conta com a participação dos cantores sertanejos Hugo e Tiago, que serão os treinadores e mentores dos candidatos e Helen Ganzarolli, que com charme e pulso firme, será a xerife deste festival.

Foram 400 audições para filtrar 20.000 inscritos e selecionar os 14 candidatos desta etapa do programa.

Serão duas fases ao longo de 13 episódios. Na primeira os candidatos do “Time Hugo” e do “Time Tiago” se enfrentam em 7 duelos e são avaliados pela plateia e pelo convidado do dia. Na segunda fase, os 7 classificados vão cantar toda semana, na luta por sua permanência. A nova voz sertaneja vai receber o prêmio de R$100 mil em barras de ouro.

Xerife - Helen Ganzarolli

No estúdio, Helen conversará com a plateia em busca de comentários sobre as apresentações e registrará a torcida por determinado competidor. Tal termômetro é de extrema importância, pois é a plateia do Festival, juntamente com o convidado do dia, votam e decidem quem fica e quem saí da competição. Além disso, a xerife será a mensageira da informação mais esperada pelo público e principalmente pelos participantes. Helen terá a responsabilidade de carregar consigo o resultado final da competição de cada programa.

Já no “Rancho da Voz”, Helen será a mediadora das provas que renderão benefícios e prêmios aos competidores, participará da delicada divisão dos grupos dos treinadoresHugo e Tiago e também das escolhas deles para os duelos do dia.

Sobre Chitãozinho e Xororó

Esta não é a primeira vez que a dupla faz parte do cast do SBT. Em 1986 eles comandaram o “Programa Chitãozinho e Xororó”, que foi ao ar até 1988.

Em 44 anos de carreira, os irmãos de Astorga, ícones da música sertaneja, acumulam a marca de 37 milhões de discos vendidos, 36 álbuns inéditos, oito DVDs, três prêmios Grammy, centenas de discos de ouro, platina e diamante, entre outros muitos feitos. Mas não foi da noite para o dia que José Lima Sobrinho e Durval de Lima transformaram-se em Chitãozinho & Xororó. Foram anos de muito trabalho e dedicação – incluindo apresentações em circos e com investimentos do próprio bolso.

A paixão pela música começou ouvindo o pai, “seu Marinho”, cantando com “dona Araci”, mãe da dupla. O talento dos irmãos foi percebido no dia em que Rosária, uma das irmãs, rasgou o caderno onde o pai anotava as músicas que compunha. Foi então que a pequena dupla apareceu, pois sabiam as letras e cantavam com afinação. Festas juninas e clubes de Rondon, no Paraná, eram palco das apresentações. O primeiro lugar no show de calouros de Sílvio Santos veio com “Besta Ruana”, de Tonico & Tinoco, ainda como “Irmãos Lima”, nome artístico da dupla até o radialista Geraldo Meirelles rebatizá-la de Chitãozinho & Xororó, nome de um grande sucesso de Athos Campos e Serrinha, composto em 1947, que falava de aves brasileiras. Com este ‘novo’ nome, gravaram o primeiro disco, Galopeira, em 1970.

O pioneirismo sempre foi uma característica bem marcante da dupla. Os artistas foram os primeiros sertanejos a tocar em rádios FM no Brasil e a incluir banjos e guitarras elétricas neste estilo musical. Isso sem jamais perder a essência da música de raiz sertaneja. Também foram os primeiros sertanejos a colocar o país no topo das paradas da Billboard. Dos cabelos mullet – mania nacional na década de 80 – às calças justas, botas e chapéu que marcaram uma geração, eles comprovaram que no quesito versatilidade eles sempre estiveram acima da média.

Eles começaram a colher os primeiros resultados em 1978 com “60 Dias Apaixonados” ao conquistarem o primeiro disco de ouro da carreira. Dois anos depois, triplicaram as vendas com “Amante Amada” e levaram para casa disco duplos de platina. Mas foi com “Fio de Cabelo”, do álbum “Somos Apaixonados”, de 1982, que aconteceu a grande explosão da dupla. A música estourou nas rádios e o disco alcançou o número de 1,5 milhão de cópias vendidas, tornando-se um marco na carreira da dupla e rompendo as barreiras do preconceito contra o sertanejo.

A partir daí, eles tiveram o privilégio de deixar dezenas de clássicos na história da música sertaneja como, “Se Deus Me Ouvisse” (1986), “Fogão de Lenha” (1987), “NoRancho Fundo” (1989), “Evidências” e “Nuvem de Lágrima”,com Fafá de Belém (1990), “Página de Amigos” (1995), “Frio da Solidão” com Roupa Nova, (2001), “Sinônimos”, com Zé Ramalho (2004), “A Majestade o Sabiá”, com Jair Rodrigues, “Arrasta uma Cadeira”, em (2005), uma composição de Roberto Carlos e Erasmo Carlos feita especialmente para cantarem com a dupla e, segundo os autores, levou catorze anos para ficar pronta; entre muitas outras.

CANDIDATOS

DENNIS E DANILLO

Os irmãos nascidos em São Paulo têm estilos de vida bem diferentes. Mesmo tendo a música como a maior paixão, Dennis é formado em publicidade e trabalha com comunicação em uma empresa. Os amigos o chamam de “agente secreto”, pois o terno e gravata usados de manhã dão lugar às roupas modernas dos palcos. Danilo trabalha em uma academia e dedica seu tempo ajudando as pessoas a cuidarem da saúde. Com interferências do rock que aprenderam com o tio logo cedo, Denis e Danilo trazem ao sertanejo que cresceram ouvindo no interior de São Paulo, uma leitura diferente e eletrizante.

BRUNO ARAÚJO

Bruno Araújo é um conquistador nato. O bonitão já liderou uma banda de pop rock de bastante sucesso em Cuiabá chegando a fazer até 25 shows por mês. Com as influências do sertanejo da região onde passou a maior parte da sua vida no Mato Grosso, Bruno Araújo se apresenta de forma bem diferente deixando as botas e chapéus típicos dos cantores tradicionais e dando espaço para as tatuagens, jaquetas e cabelo arrepiado. O cantor trouxe toda sua experiência do rock para o sertanejo e se destaca com a voz rouca deixando as mulheres apaixonadas.

BRUNO DI MARCO E CRISTIANO

Bruno carrega o título de bonitão. Já Cristiano o bom de papo. Seja qual for a característica marcante, ambos tem seu charme e conquistam o público com vozes potentes, com carisma e sintonia inconfundíveis.

Os amigos de Indaiatuba largaram a faculdade para se dedicar à música e hoje se apresentam nos principais circuitos de casas noturnas de São Paulo.

GABI MATTOS

A cantora Gabi Mattos tem como marca o ecletismo musical. Cresceu ao som do violão do pai, sua maior inspiração, mas também levanta a bandeira do rock.

Essa mistura cria uma personagem autêntica, com referências das famosas pin-ups com atitude marcante e que levará ao telespectador experiências sonoras diferentes das convencionais com o talento e carisma da nossa sertaneja rocker.

PEDRO HENRIQUE E ALEXANDRE

Pedro Henrique é de Itajobi-SP, cidade considerada o berço dos violeiros, e ganhava a vida como borracheiro. Alexandre já foi costureiro e dentre tudo o que já fez para ganhar uns trocados, aprendeu sozinho a tocar 14 instrumentos. Em 2011 a dupla de amigos, que tem como forte interpretar sucessos do sertanejo clássico, foi revelação em Minas Gerais, mas por problemas com empresário perderam tudo e hoje começam do zero um novo desafio.

RODRIGO REIS

Rodrigo Reis é o típico sertanejo bruto, peão sério e tradicional. Nascido em Patrocínio-MG, ele optou por não vir morar na capital com os pais e continuar na pacata cidade. Gosta de pescar, cuidar dos gados e andar a cavalo. Desde criança era conhecido na escola por “cowboy” devido ao chapéu e botas, estilo que adota até hoje.

Aprendeu a tocar violão aos sete anos, já teve dupla, mas percebeu que ser cantor solo é seu maior talento. Com personalidade vocal única, Rodrigo Reis leva dramaticidade às suas interpretações e parece viver eternamente em uma “boate azul”.

HIAGO

O jeito de menino misturado com a “carinha de bebê” dá a Hiago um charme especial. No auge dos seus 18 anos, Hiago traz ao palco as raízes do interior de Goiás, onde cresceu, e o romantismo que deixa as meninas. Aos nove anos, já se apresentava pela região, sempre incentivado pelos pais. Resolveu passar longe da faculdade e se dedicar às composições que já renderam regravações por grandes nomes da música sertaneja.

SANTIAGO

Nascido no Mato Grosso, Santiago traz no olhar as marcas de uma vida muito simples e sofrida. Santiago desde pequeno só quer saber de música. Quando criança até dormia no case da viola. Culpa do pai, que o inspirou e o incentivou a seguir seu sonho de viver de música. Logo cedo já se apresentavam juntos, gravaram CDs e viajaram pelo Mato Grosso esbanjando talento.

Hoje aos 18 anos, Santiago vê a participação no Festival como um sonho realizado.

SANDRA E LEONARDA

A força da mulher guerreira está muito bem representada no Festival Sertanejo pelas irmãs Sandra e Leonarda. Vindas de Santa Catarina sofreram preconceitos por serem mulheres cantando modão sertanejao, mas a vontade de vencer sempre foi maior. Influenciadas pelo pai que tinha banda de baile e pela mãe sanfoneira, se apresentam desde muito pequenas, aos 10 anos. Estar no programa significa, além de tudo, a realização do sonho dos pais.

RODRIGO RIOS

Se os príncipes são bonitos, educados, românticos e tem belas vozes, podemos dizer que Rodrigo Rios é de fato um deles. Desde os oito anos cantando, Rodrigo cresceu em uma casa rodeada de muita música e festa. Hoje já tem 3 CDS e 1 DVD lançados, além de fazer cerca de 28 shows por mês. O romantismo transparece até na fala e prova que cantar o amor é de fato o maior dom de Rodrigo Rios.

EDUARDO E RAFAEL

Eduardo e Rafael, aos 5 e 12 anos, respectivamente, já faziam suas primeiras apresentações em Limeira, cidade onde nasceram, o que rendia alguns trocados colocados dentro do violão da dupla pelo público.

Aprenderam a tocar vendo o pai ensinar as técnicas para a irmã mais velha.

No início eles se apresentavam em churrascos de amigos e o que era pretexto para “moiá” a conversa, hoje é uma história de sucesso.

MANU E GABRIEL

Cantar na Igreja foi o ponto de partida que uniu a dupla de amigos que mais parecem irmãos. À primeira vista são comportados, mas quando abrem a boca impressionam.

Moram em Londrina-PR, cidade onde a música sertaneja impera e permeou a infância dos dois. Manu arruma tempo para fazer duas faculdades! De manhã ela estuda direito e a noite cursa administração. Gabriel já foi artista circense como acrobata e é formado em Artes Visuais.

A amizade dos dois é coisa de irmão e transcende o trabalho

JOÃO TAVARES E FERNANDO

Gêmeos idênticos só na aparência. João Tavares e Fernando têm personalidades bem diferentes como, por exemplo, o romantismo, fortemente presente em João e que passa longe de Fernando que é um “pegador” nato.

A dupla de irmãos faz sucesso com a meninada fugindo do estereotipo do sertanejo tradicional com estilo moderno, descolado e interpretando sucessos do sertanejo universitário.

GRUPO BUQUÊ

Nanda, Fabi, Carol, Kate e Xan formam o grupo de cinco meninas de diferentes lugares, vidas e histórias. Mesmo tão distintas elas se cruzaram por um objetivo muito especial: O de serem as novas vozes da música sertaneja do país. Em uma atitude ousada, o quinteto une vozes que se complementam e que carregam cada uma, brilho especial.